Congresos de la Universitat Politècnica de València, HAC2018 - V Congreso Iberoamericano de Hormigón Autocompactable y Hormigones Especiales

Por defecto: 
Estratégias de mitigação da retração em betões autocompactáveis
Miguel José Oliveira, António Bettencourt Ribeiro, Fernando Garrido Branco

Última modificación: 28-02-2018

Resumen


Grande parte dos avanços verificados nos últimos anos na tecnologia do betão prendem-se com o uso de betões com muito baixas relações água/ligante. Nestes betões a retração total e, em particular, a retração autogénea tornaram-se fatores dominantes. A retração autogénea é já considerada como o “Tendão de Aquiles” dos betões de alta resistência/alto desempenho. Os betões autocompactáveis (BAC), devido à utilização de menores dosagens de agregado grosso e de maiores dosagens de pó também são incluídos no mesmo grupo.

O BAC apresenta-se atualmente como um material que demonstrou ter um elevado potencial, nas áreas da produtividade, condições de trabalho e até mesmo em matérias resultantes das suas características intrínsecas. Nomeadamente, apresenta propriedades especiais, que justificam a sua preferência em muitas aplicações. No entanto, são conhecidos vários casos de comportamento inadequado, devido principalmente ao comportamento deficiente deste material durante o processo de hidratação e secagem. A retração tem uma importância significativa na conceção, dimensionamento, processo construtivo e comportamento em serviço das estruturas de betão. No entanto, não estão ainda completamente esclarecidos os mecanismos básicos a ela inerentes e a forma como interagem entre si. Os modelos de previsão existentes e exigências normativas específicas não consideram de forma adequada a influência dos fatores existentes. Além disso, a possibilidade de utilização de novos materiais limita fortemente a aplicação do conhecimento existente. Nesse sentido, e de modo contribuir para a resolução de uma das principais desvantagens do material betão autocompactável – a sua elevada retração, foi realizada uma extensa campanha de ensaios em provetes, tendo em vista a avaliação da respetiva retração. Entre outros materiais ou técnicas, foi dada especial importância à utilização de adjuvantes redutores de retração e adições expansivas. Com base nos resultados obtidos nos ensaios realizados, foi possível avaliar a eficiência da utilização dos materiais testados e estabelecer algumas limitações de utilização. Obtiveram-se melhoramentos significativos nas propriedades estudadas, que permitiram formular uma hierarquização das estratégias de mitigação da retração estudadas. Apresentam-se soluções técnicas satisfatórias, em termos de melhoramento de comportamento e viabilidade económica, recorrendo apenas a materiais disponíveis no mercado português.

DOI: http://dx.doi.org/10.4995/HAC2018.2018.5191