Congresos de la Universitat Politècnica de València, HAC2018 - V Congreso Iberoamericano de Hormigón Autocompactable y Hormigones Especiales

Por defecto: 
Influência da adição de macrofibra polimérica no comportamento mecânico de concretos de alta resistência
Alex Macêdo Leite, Alessandra Lorenzetti Castro

Última modificación: 20-02-2018

Resumen


O concreto simples possui um comportamento frágil, sofrendo ruptura com pequenas deformações ao ser submetido a esforços de tração ou compressão. Quanto maior o valor da resistência à compressão do concreto, mais frágil é sua matriz cimentícia, com a fratura ocorrendo de forma catastrófica. Esta deficiência pode ser minimizada com a adição de fibras ao concreto, o que promove um aumento da ductilidade do compósito, sendo ainda mais relevante em concretos com elevada resistência. Desta forma, o concreto reforçado com fibras, composto principalmente por cimento hidráulico, agregados, água e fibras descontínuas, já é realidade em diversos tipos de obras: pisos industriais, pavimentos de concreto, revestimento de túneis, pré-moldados, entre outros. As fibras de aço, cujo módulo de elasticidade é da ordem de 200 GPa, são tradicionalmente utilizadas como reforço primário do concreto, enquanto as fibras sintéticas, de menor rigidez, estão mais direcionadas ao controle da fissuração por retração no compósito. Recentemente, macrofibras poliméricas vêm sendo utilizadas no reforço primário do concreto, assim como as fibras metálicas, possuindo como vantagens não sofrer corrosão com redução do pH do concreto em ambientes agressivos e afetar em menor grau a trabalhabilidade da mistura. Porém, o comportamento da macrofibra polimérica como elemento de reforço no concreto estrutural ainda precisa ser melhor analisado para que haja uma utilização adequada deste material. Assim, o presente artigo se trata de um estudo experimental, no qual são adicionadas fibras de aço e macrofibras poliméricas em teores de 1,0% e 2,0%, em volume, em um concreto com resistência característica à compressão de 80 MPa, mantendo-se a mesma consistência para todas as misturas. Após os ensaios envolvendo a caracterização dos materiais, é feito um estudo de dosagem e, posteriormente, o comportamento mecânico dos concretos é avaliado por meio dos ensaios de resistência à compressão, resistência à tração por compressão diametral e resistência à tração na flexão. Com isto, é verificada a influência do teor e do tipo de fibra nas principais propriedades mecânicas de um concreto de alta resistência.

DOI: http://dx.doi.org/10.4995/HAC2018.2018.5313