Congresos de la Universitat Politècnica de València, HAC2018 - V Congreso Iberoamericano de Hormigón Autocompactable y Hormigones Especiales

Por defecto: 
Estudo do volume de pasta em diferentes composições de agregados para concreto autoadensável
Cassia Melo, Roberto Monteiro, Paulo César Gomes

Última modificación: 20-02-2018

Resumen


O artigo estuda a variação do volume de pasta nos concretos autoadensáveis (CAA) obtidos no estudo prévio de Monteiro et al. (2015), apresentado no HAC2015, verificando o atendimento às propriedades de autoadensabilidade. A garantia destas propriedades depende da composição dos agregados. Estudos têm obtido composições ótimas de agregados aplicando modelos de empacotamento de partículas, menor porosidade. Porém, a garantia da autoadensabilidade pode elevar o volume de pasta. Esta garante a mobilidade e é influenciada pela composição dos agregados. Neste contexto, o estudo utilizando as diferentes composições de agregados propostas por Monteiro et al. (2015), obtidas pelo critério do menor teor de vazios, avalia estas composições buscando-se um menor volume de pasta que atendesse a autoadensabilidade. As composições de agregados de cada combinação (binária, ternária e quaternária) foram avaliadas através do módulo de distribuição (q) do modelo de empacotamento de Alfred. O volume de pasta de 40%, inicialmente utilizado nos CAA por Monteiro et al. (2015), foi reduzido para 38% e 35%, nos CAAs que atenderam os parâmetros de autoadensabilidade. A composição da pasta manteve-se fixa. A autoadensabilidade foi avaliada nos ensaios de espalhamento (slump flow), Funil V e caixa L. Os resultados mostraram que as composições com maior volume de pasta (40%) nem sempre atenderam aos valores de q indicados na literatura para CAA. As composições selecionadas de cada combinação (binária, ternária e quaternária) com 38% de pasta atenderam a autoadensabilidade. Já as mesmas composições com 35% de pasta apenas a quaternária atendeu.

DOI: http://dx.doi.org/10.4995/HAC2018.2018.6045