Congresos de la Universitat Politècnica de València, HAC2018 - V Congreso Iberoamericano de Hormigón Autocompactable y Hormigones Especiales

Por defecto: 
Avaliação da durabilidade do concreto autoadensável com diferentes teores de fíler calcário em substituição ao cimento Portland
Luiza Rodrigues Meira de Miranda, Fabrício Gonzales de Resende, Valdirene Maria Silva Capuzzo

Última modificación: 20-02-2018

Resumen


O concreto autoadensável (CAA) é uma mistura que está inclusa em um grupo de concretos que possuem tecnologias inovadoras para a sua utilização, os denominados Concretos Especiais. Para que um concreto possa receber a denominação de autoadensável é imprescindível que ele possua, simultaneamente, três características: fluidez, habilidade passante e coesão. Quando comparado ao concreto convencional, o CAA exige um maior cuidado na sua dosagem e produção, sendo necessário um controle rígido na escolha dos materiais e na sua variabilidade durante o processo. Por ser um material relativamente novo no meio técnico, poucas foram as pesquisas que trataram da durabilidade do CAA. Sabe-se que um dos principais mecanismos de deterioração do concreto é a carbonatação, que ocorre pela reação entre o dióxido de carbono da atmosfera e compostos hidratados do cimento, e está diretamente ligada à facilidade que o CO2 tem para difundir-se no interior do concreto, às condições ambientais e às propriedades de permeabilidade. A dosagem do concreto foi realizada utilizando o conceito da composição do esqueleto granular através do ensaio de massa unitária no estado compactado e os critérios do ACI 237R-07. Optou-se por fixar a relação água/aglomerante em 0,55, a fim de representar o cenário de maior vulnerabilidade do material. Foram realizados três traços de concreto, sendo o referência com 0% de fíler calcário e outros dois traços com 10% e 20% de fíler calcário em substituição ao cimento Portland. No estado fresco foram realizados os ensaios de espalhamento, caixa L, funil V, índice de estabilidade visual e massa específica. Para determinação das propriedades mecânicas foram executados os ensaios de resistência à compressão simples axial, resistência à tração por compressão diametral e módulo de elasticidade. O ensaio de carbonatação acelerada seguiu as recomendações da ISO 1920-12:2015. Com os resultados obtidos, tanto foi possível classificar esse CAA conforme os critérios da NBR 15823:2010, quanto também avaliar o comportamento da carbonatação acelerada no concreto autoadensável com diferentes consumos de cimento Portland.

DOI: http://dx.doi.org/10.4995/HAC2018.2018.6242