Congresos de la Universitat Politècnica de València, HAC2018 - V Congreso Iberoamericano de Hormigón Autocompactable y Hormigones Especiales

Por defecto: 
Estudo da microcelulose em compósitos cimentícios
Lívia Fernanda Silva, Shama Parveen, Aloysio Gomes Filho, Raul Fangueiro, Paula Sardeiro, Romel Dias Vanderlei

Última modificación: 20-02-2018

Resumen


Materiais em escala nano e micro oferecem novas possibilidades para compósitos cimentícios com melhor desempenho mecânico. Os tamanhos reduzidos permitem interações entre a celulose e o sistema de cimento, contribuindo de forma potencial para o combate das microfissuras e aumento da resistência do concreto.  A metodologia da pesquisa seguiu um roteiro em que foram realizados ensaios com argamassas confeccionadas contendo diferentes dosagens de MCC em relação à massa de cimento, em que foram feitos os ensaios de índice de consistência, resistência à compressão, resistência aflexão e absorção. Em ensaio de índice de consistência observou-se que à medida que se aumentam as taxas de MCC nos compósitos cimentícios há um decaimento progressivo da consistência (mm). Em relação às resistências à compressão observou-se aumento de resistência em todas as idades, com inserção da MCC em 0,2% de adição. Em relação à resistência à flexão há um aumento progressivo até a porcentagem de 0,6% de MCC, sendo esta que deteve o pico máximo de resistência de 7,67 MPa.Em ensaio de absorção observou-se que quanto maiores foram às taxas de MCC nos compósitos cimentícios maiores foram os índices de absorção, tendo um suave declínio da taxa de 0,8% de MCC a 1% de MMC.

DOI: http://dx.doi.org/10.4995/HAC2018.2018.6275